2015 mudou o software empresarial para sempre

Encontre na trademinas a solução

30 dez
15
crescimento-tecnologia-informacao-pesquisa-2015-1024x704

O ano passado trouxe grandes mudanças para as aplicações e ferramentas que as empresas utilizam todos os dias. Algumas dessas mudanças prometem ter um impacto duradouro.

Aqui estão cinco maneiras de como o software corporativo mudou em 2015.

1. Tal como em casa
Compare as ferramentas de software empresarial hoje com as de apenas um ou dois anos atrás e você não deixará de notar uma diferença marcante: a experiência do usuário. O software de hoje incorpora cada vez mais paradigmas e características do software dirigido ao mercado consumidor – em particular, aqueles desenvolvidos para uso da partir de smartphones e tablets. As interfaces são infinitamente mais simples, as características sociais são onipresentes, as interações imitam aquelas as quais estamos todos familiarizados no uso pessoal desses dispositivos.

2. Analytics para todos
Outro componente onipresente que não estava lá antes é a capacidade de análise de dados. Ela foi democratizada, e está em toda parte. Os usuários de negócios já não precisam mais encaminhar pedidos para a área de TI ou implorar por um tempo com um analista altamente treinado; em vez disso, muitas ferramentas de análise estão na ponta dos dedos. Isso é uma coisa boa? Em muitos aspectos, absolutamente.

3. Big Data e além
Falando de dados, eles estão provocando ainda mais mudanças no software empresarial. Já significaram apenas números, como “unidades vendidas” em um banco de dados relacional. Agora, estão fora da caixa. Não só temos um volume muito grande de dados, como temos dados qualitativos, dados não estruturados, streaming de dados… É um mundo confuso de dados , que está mudando tanto as formas de armazenamento, quanto as formas como os abordamos para obter insights.

4. Processamento contínuo 
Alguém disse streaming de dados? Sim – e não há maior fornecedor desse tipo de dados do que a Internet das Coisas. O software empresarial de hoje é cada vez mais construído para acomodar o fluxo contínuo de dados da Internet das coisas e torná-lo acessível para análise.

5. Aprendizado de máquina
Por último, mas não menos importante, o termo “aprendizagem de máquina” está surgindo com freqüência cada vez maior no mundo do software empresarial. Começou enriquecendo as nossas ferramentas de software com novas capacidades, e parece bastante certo de que há muito mais para vir. Nós não estamos em níveis ‘Ex Machina’ ainda – mas podemos estar mais perto dele do que pensamos.

Vai ser divertido ver o que 2016 trará.

 

Fonte: CIO